quinta-feira, 31 de março de 2016

Uma grande honra ao Black Force Metal Zine é hoje trazer minha autoria voltada para o grande Vulture, posso considerar essa das maiores e melhores de Death Metal nacional, e posso chamar la de um lendário clássico em meio a toda cena, deu então seu inicio em meados de 1995, abordando e pondo em pratica os temas de ateísmo, anti religião e também tendo eles a sua própria filosofia, a sua proposta seria trazer um som de Death Metal que fosse real e próprio, e assim o fizeram, com suas próprias influências e próprias raízes voltadas la naqueles anos mesmo, os anos noventa né, o Vulture posso chamar de uma verdadeira banda de Death Metal nacional, sua sonoridade extremamente pesada e vinda deles mesmos, uma potência de som que não se compara a certas bandas de hoje em dia afinal, para uma banda hoje em dia na cena fazer um som se não tiver suas veias la nos anos oitenta, noventa nunca vai fazer um bom som afinal mesmo com raras exceções em meio a cena nacional, muitas bandas sinceramente soam tudo igual, más posso garantir que o Vulture é muito diferente afinal os caras são la dos anos noventa e sempre tiveram suas veias bem extremas e prontos para fazer som, curtindo eles sempre aquele som do pesado e querendo se inspirar para fazerem parecido, e é então que a brutalidade insana do Vulture resulta no ano seguinte em um primeiro registro, lançado em 1996.
Meados de 96, é então gravado o primeiro registro do Vulture sendo então a sua demo ensaio, o título fica de cara ''Demo Ensaio 1996''
demo na qual apresentou brutalmente sete desgraçadas faixas da banda, mostrando então o começo da desgraça que o Vulture iria trazer, mostrava ali então apenas o começo de sua potência e de sua insanidade, em um material ensaio você veria o quão batalhadores eram os integrantes da banda e quão real é seu som, ordenados na seguinte ordem foram as faixas:
1-Sword of Thunder/2-The Death/ 3-Deads on Dawn/4-Torments of War/5-Brutal Wrath/
6-Through the Eyes of Vulture/7-Countess Bathory-Venom cover, como mostrado mandaram de brinde nessa gravação também um cover do Venom, o som do Vulture é o que eu defino em uma velocidade extrema e grotescamente hostil, baixo muito pesado que combina perfeitamente com a velocidade de sua insana bateria e sem contar com a velocidade da guitarra que deixa riffs e solos marcantes de música a música, um a sonoridade agressiva e extremamente violenta, e seu título já afirmaria que aqui era apenas o começo do caos e da devastação que a banda iria trazer, contando nessa demo com o grande irmão Adauto M. Xavier assumindo a guitarra e os vocais da banda, Lucas Guidi no seu mais insano e pesado baixo e na segunda voz e o Leandro Rodrigues em sua mais insana e hostil bateria, isso aqui foi um verdadeiro ensaio para o que estaria para surgir logo depois, dentro de poucos anos depois é então feito.
Em seu formato fita K-7 em meados de 1998, é então feito o segundo registro do Vulture, a demo tape intitulada de ''Dreams of Despair'' que contou com quatro brutais hinos de muito caos muita anti religião e muita destruição, a sua capa não iria negar nos nada, duas vozes agressivas e violentas e sem contar com os instrumentos sendo tocados de forma hostil e muito grotesca, a sua formação mantendo se completamente intacta, e então as faixas dessa demo recebem a sua seguinte ordem: 1-Vampire Empire/2-Fast to Your End/3-Confessions of a Hangman /4-Dreams of Despair, não posso dizer que a desgraça não estaria completamente programada, pois tudo já se mostra desde capa e títulos, um som que eu posso dizer que tornou se marcante com sua brutalidade e também um som que mostrava um potencial enorme da banda aquele som bem pesado semelhante aos Death Metal daquela época de fora do país, e então eles findaram colocando a cabeça bem voltada naqueles sons e queriam fazer algo parecido, más é que então o Vulture nasce como dito anteriormente em suas próprias essências.
E quando menos também é esperado ano seguinte surge mais uma demo tape da banda, e é o que eu posso chamar de uma continuação de um grande inicio, quando deram seu inicio e seus passos no Death Metal iniciaram se em sua trajetória com uma primeira demo ensaio e logo depois sua demo tape, e então logo apos isso surge de toda puera do mais devastador caos a sua terceira demo tape, seria então uma demo tape feita ao vivo, e seu título já não iria negar o que iria trazer nos, e então recebeu seu mais simples e claro título de ''Death Metal Live'' que apresentou cinco faixas brutais do Vulture de uma maneira que posso afirmar que marcou o show, e assim como sua demo ensaio contou com um cover do Venom, ordenadas as faixas na seguinte forma: 1-Death Metal Ways/2-Confessions of a Hangman/3-Abstract/4-Vampire Empire/5-Countess Bathory-Venom cover, lançada ela um ano depois da primeira demo k-7, apresentando aqui então um Vulture que só fazia crescer com todo seu esforço e batalha, mostrando que a banda tinha vindo para apoiar a cena e lutar na cena para alcançar todos seus objetivos e mostrar também todo seu apoio aos Headbangers da cena, e também sempre optando o que fosse de melhor para fazerem um som brutal que agradasse a eles, afinal a humanidade até em termos musicais findam preferindo a desgraça e a hostilidade, e um grande exemplo é essa grande banda que sempre mostraria todo seu esforço de show a show e de lançamento a lançamento, disse uma vez e repito sempre...o Vulture é um grande exemplo de grandes guerreiros da cena seja em todo o território nacional seja na cena Underground, essa foi uma grande banda que sempre mostrou a sua potência e capacidade de fazer som, e então posso falar que aqui foi um preparamento de uma grande evolução para a banda, e então seu próximo lançamento foi surgido logo depois, não demorou nada a ser feito, o reconhecimento da galera e apoio foi algo que ajudou o bastante a banda afinal todos viram que era realmente uma ótima banda, más ai então o Vulture batalha o bastante e o mais rápido possível fazem seu próximo artefato.
Ano seguinte com artes mais bem trabalhadas e uma sonoridade intacta em relação ao gênero tocado e sua maneira de tocar, e então havendo uma certa mudança de formação e apresentando mais músicas e novas composições, e também tendo o seu tamanho equivalente de um álbum completo, foi feita a demo ''A Call for the Ancients'' que contaria com nove trabalhos do Vulture, lançada no ano de 2000, contando em sua formação com Yuri Schumamn assumindo a guitarra e os mais grotescos e hostis backing vocals, o grande irmão Adauto M. Xavier na outra guitarra e com a sua mais devastadora voz, que finda sendo a principal voz da banda, Lucas Guidi que também assumiu tanto o seu mais hostil e pesado baixo como também os outros vocais, e André Barros em sua mais hostil e devastadora bateria botando pra destruir tudo, a junção de grotescas vozes e uma hostilidade extremamente insana de seus instrumentos foi algo que sinceramente combinou perfeitamente de música a música, uma destruição sonora que finda agredindo não apenas vossos ouvidos, más também deixando a quem estar a ouvir com o pescoço totalmente devastado, e com a testa extremamente cheia de sangue afinal quando a hostilidade no som é extremamente brutal e insana acaba deixando você a pontos de meter a cabeça na parede sem parar segundo algum de cada música, foram então organizadas na sua seguinte forma: 1-Prelude to Evil Incarnation/2-Even Death May Die/3-Kill or Not to Kill/4-Vlad Tepes-The Impaler/5-Revenge/6-Sail of Charon/7-The Beast Within/
8-In Darkness/9-Certificate of Death, a mais pura anti religião estaria proclamada, o mais puro ateísmo então foi levado bem mais a sério e colocado bem mais a frente resultando em um próximo material, mostrando que a banda também iria sempre ficando cada vez mais bruta e bem mais hostil, mostrando também grandes evoluções nas artes e em relação ao som permanecia claramente intacto ao gênero, e suas letras cada vez mais odiosas assim como seu jeito de ser tocado, e então quando menos é esperado surge então mais uma brutal demo, sendo ela feita dois anos apos essa.
Como dito anteriormente, logo apos lançarem A Call for the Ancients, dois anos depois viria uma próxima demo, e então foi ela intitulada de ''Hellraised Abominations'' que apresentava novas composições e também artes mais hostis e mais grotescas, e então mostrava também que o Vulture ia cada vez mais criando um ódio maior da religião cristã e de seus aliados e foi então quando eles sempre iriam colocando pra correr todos os que seguiam esse caminho e se infiltravam na cena, essa demo apresentaria então um som mais agressivo e bem mais cheio de desgraça, mas lembrando sempre que as essências e a maneira de tocar permanecia intacta, a sonoridade apenas mostraria uma agressividade maior, apresentando também novas composições da banda e apresentando sempre que eles só tendiam a evoluir bastante, e então nessa demo mostrava também uma outra formação, contando então com o grande Adauto como sabem na sua mais extrema e insana guitarra acompanhando com a sua extrema e agressiva voz, expurgando um verdadeiro ódio de uma maneira hostil que combinou bastante com o Death Metal sem contar com a agressividade da bateria de André M. Xavier que era algo que foi essencial estar presente naquela demo não apenas obviamente o instrumento e sim também a sua forma de tocar que combinou bastante tanto com a guitarra e voz de Adauto, más sem contar com o mais insano e pesado baixo de Felipe Munhoz que também ficou assumindo os backing vocal junto com o Yuri, ambos tocavam um no baixo e o outro na guitarra e também nos seus mais hostis e grotescos backing vocal, uma certa definição para esse tipo de som é o que eu classifico de extremo e totalmente anti cristão ou anti religioso afinal é a mesma coisa, contando então com as faixas: 1-Son of Darkness/2-Bad Omen/3-Carpe Necrum/4-The Vulture's Path/5-Unholy Inquisition/6-Dead God, e quando dois anos se passam e surge mais um grande preparamento para um lançamento que iria surgir depois, e então quando menos é esperado surge do mais insano ódio a próxima demo da banda, apresentando sempre artes mais trabalhadas mas sempre a sonoridade estando intacta mas com a sua ligação total ao Death Metal, atraente a nos Headbangers.
Uma grande preparação para um grande material que iria surgir logo apos, é então intitulado de ''Evil War Domination'' que contava com riffs marcantes e com um peso extremo, uma demo que contou com apenas duas músicas más o seu peso tornou se bem maior que a quantidade de faixas contidas, um ódio extremo transformado em uma insana fúria seja contra a escória seja contra o próprio deus, e então contava nessa demo apenas com o Adauto, com o Yuri e André, e então posso dizer que com suas extremas habilidades trazidas como recompensa la dos nos noventa resultou nas faixas: 1-Evil War Domination/2-Lobotomy, sendo então essa demo lançada em meados do ano de 2002, que então essa demo posso dizer que foi até bem aceita na cena e o Vulture nessa demo mostrava apenas um pouco do que era que estava por vir, essa demo trazia muito ódio em tão pouco tempo e acontece que foi aqui quando as artes digitais começaram a ficar melhores e mais bem trabalhadas e essa demo foi uma preparação para o seu primeiro álbum completo, o primeiro full do Vulture estaria para chegar, chegando ele pouco tempo depois desse artefato, posso dizer que marcou a sua trajetória.
O verdadeiro teste de fogo estava surgido, em 2005 então é lançado o primeiro álbum do Vulture, contendo ele sua ideal quantidade de faixas sendo então o total de nove, então apresentando aqui uma fúria bem extrema e muito hostil em sua maneira de tocar a sua agressividade com instrumentos e vocais foi algo que tornou esse disco extremamente perfeito e em homenagem ao caos e a desgraça, mostrando aqui o quão grande é a maldade humana e o quão grande o seu ódio fica quando envolvem em meio ao Death Metal e ainda mais um Death Metal agressivo como o Vulture, esse álbum então acaba sendo muito hostil e muito pesado, a sua sonoridade por mais que modernos sejam os dias de hoje o som fica aquela coisa voltada pros sons mais antigos afinal o Vulture nasceu nos anos noventa e então tiveram com toda certeza o jeito brutal e grotesco de trazer isso até hoje recebendo então suas faixas na seguinte ordem: 1-Lobotomy/2-Evil War Domination/3-Dead Man Walking/4-Silence of the Lambs/5-Walls of Flesh/6-Vicious Void/7-Empalação Brutal/8-Reanimator
9-World of the Fallen, e então é o que eles fazem, som cheio de essências antigas e raízes voltadas naqueles anos e sempre tendo eles a sua própria sonoridade por mais que eles tenham a cabeça voltada em outras bandas, más isso não diz que eles querem fazer som na linha de banda tal, o que chama bastante atenção no Vulture é então isso, a sua capacidade sonora e esse primeiro álbum mostrou totalmente um Vulture que tinha então até suas evoluções e sua formação manteve se então firme e apos esse disco eles então começaram a trabalhar para seu próximo lançamento que foi um segundo full álbum mostrando então cada vez mais um Vulture bem mais devastador e cruel, a sua potência sonora foi algo que combinou perfeitamente com sua arte de capa que não negaria nada.
O caos estaria extremamente proclamado quando foi lançado ''Through the Eyes of Vulture'' que proclamaria todo o mais devastador caos que o Vulture só aumentava com o passar dos anos e então contando nele com 11 faixas devastadoras que então ordenam se na seguinte forma: 1-Where the Vulture Sleeps/2-Godless Age/3-Cold Air/4-Diemocracy/5-Blessedness Thru Emptyness/6-Legacy of Cain/7-Dark Visions/
8-Your Savior Will Never Come/9-Unholy Truth/
10-Strong as a Storm/11-Under the Blackest Horizon/12-Abençoado Seja o Homem Ateu, como mostrada a lista, contou com uma letra em português que representa o verdadeiro Vulture, Abençoado Seja o Homem Ateu que posso dizer que segundo a Legacy of Cain essa é a minha preferida, mostrando então o ódio que nós sentimos de toda essa alienação chamada de religião, o ateísmo puro representado nessa grande faixa, deixando bem claro que não precisam disso em suas vidas afinal religião mudaria o que?! e então a faixa legacy of cain mostraria então a representação do mais puro ódio de Cain mostrando todo o seu legado e deixando bem claro o ódio e a destruição a ser proclamado mostrando que então Vulture viria seguir seu caminho bem firme e forte sem fraquejar e posso dizer que isso eles fazem até hoje e posso garantir com toda certeza, e então nesse disco contava com o grande e brutal irmão Adauto que como dito anteriormente colocou pra muer tudo desde o começo da banda com sua extrema voz e sua extrema guitarra, más aqui contou também com o grande Yuri que também devastou tudo com seu mais furioso backing vocal e sua destruidora guitarra e sem contar com o mais extremo e hostil baixo do Max que também tomou conta de um dos hostis e agressivos backing vocal, e contando com o André que tomou conta de sua mais extrema e insana bateria que fez toda aquela cara agressiva do Vulture e então tudo junto formam essa grande desgraça que serviu então como um preparamento para outro grande lançamento que quanto menos foi esperado saiu o primeiro EP da banda, contando com uma arte digital bem evoluída e sua sonoridade intacta.
Um grande EP bem mais que furioso contando com quatro extremas faixas do Vulture então foi feito logo em seguida, intitulado de ''Murderous Disciples-In the Name of'' que foi o primeiro EP do Vulture e veio então a todo vapor destruindo tudo com a sua extrema sonoridade insana, a proclamação de toda a devastação sonora já estava a caminho, mostrando que o Vulture viria mostrando todas suas forças desde os anos noventa até aonde irem e é o que fazem pois então a banda estando ativa até os dias de hoje executando o mais verdadeiro Death Metal, e posso dizer que esses caras com toda certeza tem sim anos de estrada e experiências com o som e que eles também sabem realmente mostrar para o que vieram e também mostrando toda vossa hostilidade proclamadora de todo o caos, contando com as faixas: 1-Murderous Disciples/
2-Riders of a New Age/3-When Time Fless/4-No Way to Follow-Instrumental Version, como mostrado contando também com a versão de Way to Follow sendo ela instrumental, e acontece que então aqui também foi um preparamento para um próximo álbum completo...carai Vulture tem potência em?! de 96 até aqui sempre evoluindo e lançado...a evolução se preçebe logo quando começar a ler o texto, e então logo depois ele veio.
Meados de 2012 então chega a destruidora criação do Vulture, sua capa iria negar porra nenhuma do que iria trazer e muito menos o seu próprio título...composto então por dez hinos de caos, puera e muita destruição são ordenados na seguinte forma: 1-Night of the Unholy Flame/
2-All Falls Down/3-Murderous Disciples/
4-Riders of a New Age/5-When Time Flees/
6-No Way to Follow/7-Alingment 2012/
8-A Step to Hell/9-Blasphemy Life/
10-Carrasco de Si Mesmo, e então as duas faixas nas quais eu mais me identifiquei e mais gostei e que posso dizer que torei meu pescoço ao ouvir e expurguei toda minha fúria foram carrasco de si mesmo e a blasphemy life, posso considerar esse dos mais odiosos e dos mais destruidores da banda afinal aqui foi até dos mais recentes lançados e dos mais aceitos estando então em catalogo ainda hoje em dia um verdadeiro som que mostra o verdadeiro carrasco que existe dentro de nós malditos seres humanos, compostos de fúria e desgraça prontos para proclamar tudo o que há de desgraça na terra e envolver nos ao mais pesado e hostil som que representa o grande Vulture o verdadeiro Death Metal, e é então que poucos anos se passam e é então lançado mais um álbum completo, posso classificar dos melhores de todos.
2015 chega e a desgraça vem junto, e então a atualidade se aproximava e o Vulture só fazia crescer o bastante, me impressiona de mais saber que na cena Underground e de todo território brasileiro ainda existem bandas batalhadoras e fieis ao gênero e fieis a cena e a todos os Headbangers, Vulture estando em sua ativa desde 1996 e até os dias de hoje, então começando em uma demo ensaio e vem lutando em meio a batalhas até chegar nesse ponto de fazer um disco tão perfeito, álbum que ficou bem trabalhado desde suas artes digitais como sonoras, um álbum que eu posso classificar lo como extremamente perfeito, totalizando com 11 faixas e contando também com letras em português, e uma formação bem firme e forte, intitulado de ''Abandoned Haunt of Cosmic Hate'' foi então o novo álbum do Vulture, que carregava um ódio perversamente hostil e grotesco, aquele tipo de som que todos gostam de ouvir afinal a humanidade gosta é de desgraça e então o Vulture com sua própria e odiosa desgraça faz seu mais hostil e insano som que classifico como dos melhores do gênero Death Metal, e então foi contido no disco as faixas: 1-Under The Blade of Death/2-Amplify Your Sins/3-Masters of Decay/4-Denial of God/5-Até as Últimas Consequências/
6-Omniscient Ignorance/7-War Over/8-World Remains/9-Soulless/10-Despise Your Morality/11-Moderna Escravidão, e então eu agora gostaria de abrir um velho espaço para agradecer de coração ao meu grande irmão Adauto pela grande força e pela grande confiança no Black Force Metal Zine, afinal é realmente uma grande honra um blog de um zine tão pequeno em suas próprias palavras trazer aqui a história de uma grande banda como essa disse uma vez e digo de novo, Vulture é uma das maiores e melhores bandas do brasil, desejo então anos de estrada e muita glória Hail Vulture.

terça-feira, 29 de março de 2016

O mais puro anti cristianismo cheio de blasfêmias encontrando se friamente na horda Arbach desde seu inicio em meados de 2004, que levou bem a frente de uma maneira bem séria os seus temas de paganismo, ocultismo e o próprio anti cristianismo que não poderia de maneira alguma faltar em seus hinos negros, então a horda traz consigo uma musicalidade que é extrema e original de si, juntando seus temas líricos que são abordados seriamente de maneira cruel e bem hostil, massacrando com todo o cristianismo e todos os seus aliados, o Arbach é o tipo de banda que eu posso considerar de verdadeiros guerreiros, na qual é formada por dois grandes irmãos sendo eles o grande Emperor Diavolos que assume as mais insanas rápidas e extremamente brutais guitarras e os seus mais devastadores vocais que eu posso garantir que não semelha se a um vocal qualquer em meio ao Black Metal, classifico como gritos blasfemos vindo la do inferno cheio de sofrimento e muita desgraça, más contando também com o grande irmão Lord Maledictum que assume o seu mais insano e pesado baixo que com suas cordas o seu som a ser trazido posso garantir que o peso é bem semelhante as carruagens de Leviathan o senhor das profundezas,  o peso das músicas do Arbach é tão próprio que posso garantir que banda alguma copia ou tenta fazer, podem chegar até perto, mas chegar a ser o Arbach nunca vão chegar afinal sua sonoridade traz uma extremidade que é muito própria, uma originalidade grotescamente hostil e blasfema, e então toda a infernidade do Arbach quatro anos depois finda em seu primeiro registro.
Contendo uma formação diferente da citada, o Arbach em meados de 2008 lança o seu primeiro material, o verdadeiro reino pagão era homenageado ao som dessa infernal e cruel demo que recebe seu título de ''The Warriors of Pagan Empire'' que o seu próprio título já diz o que queria trazer em seu contexto ideológico más também não deixando a sua capa escapar nada o que iria trazer, os verdadeiros guerreiros do império pagão estavam armados para essa bestial batalha em nome de tudo o que é sagrado e real nesse longo caminho nessa imensa estrada Underground, e suas batalhas acabavam se de iniciar, tendo sua limitação de 250 copias e trazendo seus cinco primeiros rituais noturnos de consagração ao reino pagão, rituais que mostrariam apenas o começo das blasfêmias que o Arbach iria trazer, receberam então os títulos ordenados na seguinte forma: 1-Angel of Faith and Light /2-The Mistery of Morbid Souls/3-As the Fire That Fall of the Sky/4-The Warriors of Pagan Empire/5-About the Sanctuary of Blood, uma mistura de trevas e fogo foi o que definiu o bastante esse negro artefato, surgiu ele das mais obscuras trevas que o Arbach trazia, más o que também mescla dentre os temas e define exatamente a cara do Arbach é a sua capacidade de proclamar o caos e a verdadeira destruição blasfema, contou nesse bestial lançamento a presença de Emperor Diavolos, e do Zorthan, um som insano e muito profano em total guerra contra os cristãos e seu próprio deus, um som feito para destruir e devastar por completo toda a trindade, e então anos depois surge das trevas mais obscuras o seu próximo registro, mantendo toda sua força viva e suas chamas acesas.
Em meados de 2014 quando o Arbach tem a entrada do grande Lord Maledictum, e também contando com Horus assumindo a bateria, é então feito mais um grande e histórico registro, recebendo seu título de ''The Goat'' que seria um infernal single com um hino que posso chamar lo de um verdadeiro ritual com uma mistura de viagens astrais, uma maldição na qual posso dizer que foi quando o Arbach se aprofundou mais ainda em temas de Ocultismo e de coisas mais ligadas ao inferno, as suas chamas estariam bem mais acesas e as trevas estavam predominando cada vez mais e uma grande evolução nos caminhos da horda estava surgindo se e abrindo cada vez mais e o seu reconhecimento foi ganhando se cada vez mais, o Arbach estaria com uma força extrema e realmente muito alta e com vossas cabeças erguidas nesse eterno combate, o hino recebido nesse amaldiçoado single recebe seu título de ''The Hammer of Heretics'' e foi esse single um preparamento para o vapor que o Arbach iria trazer no ano seguinte, amadurecendo cada vez mais e seguindo em frente prontos a derrubar tudo e todos, a caça em meio a cena em busca de tudo o que era real continuou, e as essências e raízes vivas e sua sonoridade extremamente intacta, afinal não iriam mexer no que já estava queto e melhor, era como se o Arbach tivesse exatamente cultuando um mais profano bode, o seu nefasto caminho continuava e seus passos eram seguidos sem parar ou muito menos pensar nisso, e é quando menos se espera um negro e maléfico material é surgido.
Quando passam se 10 anos com suas mais hostis e grotescas invocações blasfemas e atrocidades bestiais e profanas contra toda a trindade e seus aliados, como dito anteriormente quando menos é esperado no ano seguinte sendo em 2015 é lançado o primeiro full álbum do Arbach, intitulado de ''Left Hand Path'' que recebe oito malditos hinos em toda consagração ao inferno e a tudo o que é de mais profano na terra, a maldade infame contra o cristianismo que o Arbach trouxe nesse álbum é algo que seriamente posso chamar de satanismo puro, uma sonoridade na qual eu fico extremamente sem ter o que realmente comentar, um som rápido e agressivo, cheio de blasfêmias e brindes de taças infernais cheias de  sangue em toda a consagração pagã e infernal, um expurgo de muito ódio e de muita vontade de destruição a toda a religião cristã, quando esse disco estar no play, é a mesma coisa que falar que o livro de Satan estar aberto, a sua maldade infame começa a crescer sem você ao menos perceber, pois quando você percebe já estar com uma desgraça sangrenta feita, toda essa arte profana é organizada na seguinte ordem: 1-Intro/2-Left Hand Path/3-Angel of Faith and Light/4-Thirty-Nine Lashes/5-I Am The Goat/6-The Warriors of Pagan Empire/ 7-Lucifer's Reign/8-Steel and The Stone-(The Book of Satan)/9-The Hammer of Heretics, aqui mostrando que o Arbach estaria sério em sua guerra e estava com suas armas bem erguidas e com as cabeças bem levantadas, sendo que foi aqui no período que a horda firmou se com Emperor Diabvolos e Lord Maledictum, e mostrando que sua sonoridade realmente iria manter as suas antigas essências vivas e extremamente ligadas ao paganismo e a todo o satanismo, as blasfêmias não iriam parar e suas artes profanas e bestiais iriam apenas crescer o bastante, mais esse álbum posso dizer que ficou muito bem trabalhado e com as veias ligadas em um Black Metal bem oitentista, e garanto que esse foi um dos melhores já surgidos na cena Underground, abro então um espaço para agradecer aos grandes irmãos da horda Arbach pela confiança no zine e por todo apoio, desejo anos de bestial guerra e que o fim não chegue logo, e também mando o meu mais infernal e blasfemo Hail ao Arbach.
Grande honra e orgulho de trazer aqui a mais insana história de guerra do grande Sadomaso Control, um grande projeto composto pelo grande irmão e guerreiro ''Superion Wolf Kommander'' que dar seu inicio de atividades em meados de 2006, e acaba encontrando se ativo até hoje em seu extremo som, levando muito a sério seus temas de muita guerra, holocausto, ódio, sadismo, e por ai vão, mostrando sua grande ligação com guerra e seu mais puro ódio em relação ao holocausto já se mostra de maneira seca e crua desde o seu logo, a sua insana agressividade sonora não tem como negar que ali seria um expurgo total de muito ódio e de um grande espirito de guerra, manteve ele as suas chamas vivas e acesas de forma cruel, mesclando os gêneros de Black e Death Metal, tem como essa porra não ser agressiva e pesada?!, uma insanidade sonora que nem se parece que é apenas um único guerreiro que estar fazendo, um carregamento de ódio tão grande que semelha se a o verdadeiro holocausto, más então tem outro fator que me chama muito a atenção em cima desse grande projeto, seria então ao assistir seus clipes as cenas de guerra contidas de forma cruel e sem medo de mostrar, más o lance mesmo é seu som que é realmente bem pesado e muito hostil, uma verdadeira coisa que eu posso chamar de grotesca e odiosa esse também é aquele tipo de som que ao ouvir começa a soltar a sua mente cheia de maldade infame deixando você em um verdadeiro estado de desgraça e desejos infames isso posso provar o bastante por ter experiências próprias, mas ai então com toda sua insanidade e espirito de guerra em 2010 é gravado seu primeiro registro que foi algo bem melhor e mais insano do que eu esperaria de um grande guerreiro posso classificar como um suado objetivo.
aquele ano de 2010, rolam vários lançamentos do Sadomaso Control, e um deles e seu primeiro que  foi a demo tape ''REHEARSAL DEMO 01- ENSAIOS DE 2006/2009'' que conteve quatro insanas faixas, o som do Sadomaso já é algo que é extremamente hostil e grotesco, e insanamente pesado naturalmente já, agora imagina essa desgraça toda em uma demo tape, desgraceira mais que formada, um dos grandes fatores que me chamou muita atenção já veio logo em seu encarte, na capinha de frente uma cena antiga e bem suja de uma certa guerra, eu fico imensamente impressionado com a ligação do Sadomaso com guerras, primeiro lançamento a capa não negou nada e agora nesse aqui nada negável também más algo que também me chama muita atenção, é a insana bateria que o Superion usa assim como os demais instrumentos é como se fossem várias metralhadoras e armas, e seus insanos e grotescos gritos são a mesma coisa de soldados e outras pessoas morrendo de bala em meio a uma desgraçada guerra sangrenta, e então nessa demo recebe suas faixas na seguinte ordem: 1-Nuklear Winds of Pazuzu/2-High-Tech Possession Tiamat/
3-Attomik Soldiers fur Totenkopf/4-Under the Sign of Nebyros, e então a guerra em meio a cena Underground continuou rolando naquele ano de 2010.
Quando menos é esperado o Sadomaso Control entra para um split que seria seu segundo material de, onde divide ele a destruição junto com o projeto ''Wehrmacht Kommand'' que então resolvem eles dar o título do lançamento de ''Death Kramp'' que então o material contou com duas faixas de cada um, e então recebem elas a seguinte ordem:
1-Wehrmacht Kommand-Wehrmacht
2-Wehrmacht Kommand-Death Kamp
3-Sadomaso Control-Sadocore Warfare
4-Sadomaso Control-Gasmask ist Krieg, foi extremamente limitado esse material, em uma tiragem de 300 copias, não tem nada a negar em relação a destruição, caos e muito som de guerra a sua capa é algo que chamou muito atenção, afinal combinou muito bem com o Sadomaso e a outra banda, um agressivo som que eu posso dizer que causou meio que um impacto na cena e no Sadomaso, colocando ele bem mais pra frente e aumentando mais ainda a sua força e capacidade de fazer um som extremo e brutal, mostrou aqui também que a guerra iniciava se, seu som eu posso dizer mais uma vez que é bem semelhante ao verdadeiro holocausto por conta de sua insanidade e maldade a ser tocado, a sua agressividade chama uma atenção extrema, e me deixando com mais certeza ainda que a mente humana tende a ser cada vez mais mal ainda e querem sempre fazer um grande som mostrando o seu mais impuro e desgraçado lado infame, todo seu sentimento de ódio e desgraça é descontado e representado no seu som, de uma maneira cruel e grotescamente hostil. e esse já foi comentado na Black Force Metal Zine, más porem com uma capa meio diferente na verdade era um flyer la da ''Unholy War Prod/Dist'' lançado ele nesse mesmo formato.
Com mais três desgraças infernais e infames, é lançada a sua próxima demo tape intitulada de ''Corrosive Holocaustic Potestade'' o verdadeiro caos estaria proclamado de forma cada vez mais cruel e cada vez mais horrenda, a peste se espalhava e a guerra era proclamada, a insanidade humana quando envolve se em músicas é algo que finda sempre e certas desgraças uma maldade que não precisa ser agida fisicamente pois musicalmente já torna se uma agressividade tão extrema que eu tenho certeza que torna se uma verdadeira maldade, seja contra religião e seja contra nazistas e contra todos os falsos que infelizmente sempre caem aonde não deve, ou seja na nossa cena!!! sem contar com a extrema veia la nas coisas antigas que o Superion tem, puxa ele as suas influências próprias e faz o seu próprio som, segue ele como um verdadeiro soldado armado em meio a guerra na longa estrada Underground, colhendo ele sempre seus frutos esperados e desejados, suadamente caminhando e batalhando o bastante, produzindo ele as suas armas sempre com o passar dos anos, e conteve nessa arma duas três carregadas, intituladas: 1-Nuklear Winds of Pazuzu/2-Metal Corrosion Holocaust/3-Salem... Holocaust of Cum, que foi aqui um grande preparamento pra sua próxima demo, que foi também por incrível que pareça nesse mesmo formato, com mesmos temas abordados.
Sendo então a ultima tape e ultima demo lançada naquele ano, nasce a mais desgraçada fita ''Attomik Roarr'' que foi uma verdadeira e atômica demo, um lançamento que conteve apenas duas faixas sendo elas as seguintes:
1-Nuklear Winds of Pazuzu
2-Attomik Guards fur Totenkopf
foi ali um preparamento bem hostil e de leve para o seu próximo lançamento que foi surgido no ano seguinte, más então essa demo tape creio que os temas de guerra e muito ódio contra todo o holocausto foi uma demo que se associou e entrou cada vez mais fundo nos temas, a sua capa não negou exatamente nada, uma arma feita com duas balas em homenagem a todo o fim do nazismo que ainda estar em luta contra, e então posso considerar essa demo um verdadeiro holocausto contra todos os infiltrados da cena, ou seja um campo de concentração feito especialmente para torturar esses merdas, sejam eles os white sejam os neonazi, o peso e o carregamento de ódio trazidos aqui foi algo que com toda certeza fez toda a cara do Sadomaso, e como eu disse anteriormente toda essa brutalidade foi feita em um certo preparamento para a próxima insanidade que estaria para chegar no ano seguinte, foi esse como dito anteriormente também, o ultimo lançamento de 2010, e ai então partiu para a sequência de lançamentos que iniciaria em 2011, lançamentos que chamo de armas de guerra e conquistas de um verdadeiro soldado guerreiro.
Meados de 2011 Sadomaso Control acaba entrando em mais um split, dessa vez chegou dividindo o espaço com outro projeto também, projeto solo do Luvarth, chamado de Impure Essence, e então nesse split teve um total de seis faixas bem mais que destruidoras e agressivas, foi obviamente três de cada, o caos e o ódio estaria proclamado naquela infernal arma atômica feita também no formato CD assim como seu primeiro split, e foi esse o segundo split no qual o Sadomaso deu sua participação, e foi aqui também que começou a fazer mais lançamento em CD, e eu posso classificar aqui um Sadomaso mais maduro e mais extremo que antes, más sem perder as suas insanas essências daquele mais insano espirito de guerra e de destruição, dessa vez resolvendo dividir o espaço com outra banda justamente por formar uma aliança na cena, e mostrar que alianças teriam que ser feitas no Underground e que não queria ver essa porra toda desunida, a desunião é coisa de fracos que não merecem estar na cena, e eu sou bem a favor é de união e alianças na cena, coisa que eu vejo muito pouco hoje em dia, más a sua questão sonora manteve se intacta em relação a temas e maneira de ser tocada, agressivo e extremo que então suas faixas recebem a sua seguinte ordem: 1-Sadomaso Control-Nuklear Winds of Pazuzu/ 2-Sadomaso Control-Salém Holocaust of Cum/3-Sadomaso Control-Metal Corrosion Holocaust/4-Impure Essence-Blood on the Battlefield/ 5-Impure Essence-Lost Inside Yourself/6-Impure Essence-The Chalice of the Black Mass, o verdadeiro holocausto de desgraças e armas a serem feitas naquele ano estavam apenas começando, logo mais vem mais um grande artefato que a sua capa eu posso classificar como uma das melhores e mais bem feitas e das que mais combinou com o extremo som do Sadomaso Control, feito também em meados daquele ano.
 Os campos de concentração para os falsos estava apenas começando, e as armas sonoras estavam sendo fabricadas, o caos e a devastação estariam a ser combinados a bandeira estava a ser erguida e a guerra a ser proclamada, e a capa dessa arma que recebeu seu título de ''Hightech Possesssion Tiamat (Relaunch)'' que foi ali uma primeira demo da banda em CD, que seria uma arma carregada com quatro balas de munição bem pesada e grotesca, quatro balas que provocariam um extremo caos de uma verdadeira destruição, o que eu falo acima coincide muito bem com a capa dessa desgraça, na qual suas balas recarregam se nessa seguinte ordem:1-Nuklear Winds of Pazuzu/2-Hightech Possesssion Tiamat/ 3-Attomik Soldiers für Totenkopf/4-Under the Sign of Nebyros, e a caça da falsidade continuou, o Superiom continuou em sua estrada de muita guerra seguiu ele em frente para derrubar e meter bala nos falsos, nos neonazi e nos white que surgiam na cena, pessoas nesse nível não duraram muito quando Sadomaso chegou,e ainda mais quando chegou armado com essa brutal arma contra eles e contra tudo o que viesse o derrubar, e naquele ano logo apos essa demo surge o penúltimo lançamento daquele mesmo ano também classifico que foi um dos melhores e maiores que surgiu em toda essa trajetória que eu classifico das melhores e das maiores que já foi comentada no web zine e posso dizer que de um projeto de um dos maiores soldados guerreiros em meio a cena Underground.
Feito com praticamente com a mesma arte do lendário disco ''To Mega Therion'' do lendário ''Celtic Frost'' foi feita a lendária compilação que recebeu seu título de ''The Nuclear Wrath for Totenkop'' que teve uma junção de 10 extremas faixas de devastação e muito muito caos, uma arma que foi totalmente feita em guerra a todo o cristianismo e os white, isso você já percebe na capa, uma arma carregada desde sua capa até suas munições de dentro, ou seja...OS INSANOS GRITOS DE GUERRA!!! toda a insanidade odiosa foi meio que descontada nesse bruto lançamento, o que me chamou mais atenção foi o peso da guitarra com a velocidade do baixo coincidindo eles extremamente bem e insanos um com o outro, sem contar com a bateria que foi o que me realmente impressionou o bastante, nunca vi uma coisa tão extrema e insana feita por apenas um guerreiro soldado, e eu sinceramente tô sem saber a definição que eu tenho para esse grande e grotesco lançamento, a bateria era uma simulação que mesmo sem ser a intenção simulava o bastante tiros de metralhadores e explosões de granadas subindo toda a puera e proclamando todo o caos no local, um som que é o que chamo de moedor de crânios e pescoços, simulação de uma verdadeira matança em uma sangrenta e odiosa guerra, e posso dizer que essa simulação foi em forma de mostrar que a guerra por um verdadeiro Underground estava continuando, e então a munição é carregada na seguinte ordem:
1-Intro: Vengeance and Wrath...../2-Metal Corrosion Holocaust/3-Nuklear Winds of Pazuzu
4-Attomik Guards Für Totenkopf/5-Salem Holocaust of Cum/6-Sado-Core War Fare
7-Gas Mask ist Krieg/8-Nuclear Winds of Pazuzu/9-Attomik Guards Für totenkopf
10-Hightech Possession Tiamat-(Rehearsal), e seu próximo e ultimo lançamento daquele ano não demorou para surgir, a próxima arma iria estar em dois canos diferentes novamente.
Mais um split entra para a discografia do Sadomaso Control, dessa vez dividindo o espaço e criando mais uma irmandade dessa vez ao lado do Nuclear Rage, dessa vez posso dizer que carregaram não metralhadoras e sim construirão juntos um verdadeiro tanque de guerra, cada um cedeu sete faixas próprias que formou total de 14 balas em dois cintos bem preenchidos dando a vida ao mais insano split que recebe o título de ''Suffocated Life on the Diesel Storm'' , no qual as balas e cintos foram ordenados na seguinte ordem:1-Sadomaso Control-Intro...../2-Sadomaso Control-Attomik Soldiers Für Totenkopf/3-Sadomaso Control-Nuclear Winds of Pazuzu/4-Sadomaso Control-Under the Sign of Nebyros/5-Sadomaso Control-Hightech Possession Tiamat/6-Sadomaso Control-Beastiallized with Agrotoxxx/7-Sadomaso Control-Doença (Cadaveric Masturbation.)/8-Nuclear Rage Intro/9-Nuclear Rage-Santaclaws Has a Radioesthesic Skin Cancer./10-Nuclear Rage-Cyborg Colony/11-Nuclear Rage-Suffocated Body on the Diesel Storm/12-Nuclear Rage-The Nuclear Rage/
13-Nuclear Rage-Thy Rigor Morttis Is Just Pure Corruption/14-Nuclear Rage - Outro......
e logo apos essa insanidade, surge uma peça profana, limitadíssima e hoje estando muito rara.
E acontece que os últimos lançamentos do Sadomaso Control foram todos splits, e dentre eles estava essa profanação insana no meio, posso classificar como o mais profano de toda a discografia do Sadomaso, e posso dizer que aqui o tema que foi mais levado a sério foi o mais puro terror, a sua capa iria negar exatamente nada, divide então a desgraça e o horror humano dessa vez com o Celestial Chalice, que então juntos formam o mais desgraçado split ''Celestial Bloody Thunder'' que teve o total de oito faixas, quatro de cada um, composto na sua seguinte ordem: 1-Sadomaso Control-Attomik Guards Fur Totenkopf-(New Version)/2-Sadomaso Control-Beastialized with Agrotoxxx/3-Sadomaso Control-Nuklear Winds of Pazuzu/ 4-Sadomaso Control-Salem....Holocaust of Cum/5-Celestial Chalice-Satan Glorifed upon the God's Death/6-Celestial Chalice - Diabolical Messiah/7-Celestial Chalice-Chariots of Fire/8-Celestial Chalice-Lord Belial, o terror limitou se em 86 únicas copias, e serviu se de um verdadeiro preparamento para que o próximo artefato que estaria para surgir viesse bem mais potente e bem mais hostil e cheio de guerra, e eu posso garantir que isso aconteceu grotescamente.
AAAARRRGGHHHHHH!!!!!!!!
a guerra só estava era começando e pronta para evoluir até o bastante, a capa já mostrando a verdadeira e imunda cara do Sadomaso Control, a verdadeira cara de um soldado com um espirito de guerra, ao lado da banda ''1389'' é gravado o split ''Perverted Goat Holokaust 68686'' que prometia em parte das duas bandas uma aliança nessa grande guerra, e que eles iriam preparar seu canhão e armas juntos, munição não faltou, arma carregada em oito balas recebendo a seguinte ordem: 1-Sadomaso Control-Intro/ 2-Sadomaso Control-Salem Holocaust of Cum.../3-Sadomaso Control-Under the Sign of Nebyros/4-Sadomaso Control-Doença (Cadaveric Masturbation.)/5-1389-Dodje Smrt Po Meso Krsno/6-1389-Prociscen U Vatri/7-1389-Hristov Sprovod/8-1389-outro, a guerra e o bestial massacre estariam apenas começando posso classificar essa uma das mais poderosas armas que o Sadomaso Control já pode ter feito, sua capa e sua sonoridade mostrava o que era realmente a sua intenção mas posso garantir que esse pode ter sido um dos mais bestiais, seja split seja disco com toda certeza foi um dos melhores, e como todos os outros os seus temas líricos e ideologias mantiveram se intactos e a sonoridade mantendo se grotescamente viva.
A ultima arma foi então produzida, más isso não declarou o fim do Sadomaso e nem o fim da guerra e suas batalhas, fazendo mais um split no qual se identificou bastante pelos temas que iriam trazer e sua capa e peso sonoro, dividindo dessa vez o espaço com o Furor Volturno, dando eles então a mais insana vida ao split que foi intitulado de ''Gloria Patri Excelsi 666'' que conteve as suas faixas ordenadas na seguinte ordem: 1-Furor Volturno-Toque da Alvorada/2-Furor Volturno-Front Paulista/
3-Furor Volturno-Morte da Civilização aos Mestres do Planeta-Parte: II/4-Sadomaso Control-Kataclismic Throne of Gorgon/
5-Sadomaso Control - Metal Corrosion Holocaust/6-Sadomaso Control-Eletricfied Skeletron (Golgotha 666), 666% de guerra e de muita destruição, esse sendo o mais recente lançamento do Sadomaso, sendo lançado em 2014 e logo logo novidades insanas estarão para surgir, esse split posso classificar um dos mais odiosos de todos uma capa na qual mostraria a representação que a guerra e o holocausto contra os infiltrados da cena estaria apenas começando, novas armas do Sadomaso Control estão para surgir, e logo mais o Sadomaso vai estar nas negras e insanas linhas do Black Force Metal Zine novamente, o espaço agora é para agradecer ao grande Superion por sua confiança no zine e pela honra cedida para que eu tenha escrito essa breve nota, um Hail de guerra e desejo também muitos anos de guerra batalha e muita vitória nesse caminho Underground, e que armas insanas logo estejam surgindo.

sábado, 26 de março de 2016

Com uma grande honra e como foi dito anteriormente no texto da parceria com o grande distro Infame Malidto, iria trazer o grande Hoax na Black Force Metal Zine de uma forma melhor e mais explicada, que então eu tenho essa banda como um exemplo de que a cena Underground continua crescendo e caminhando em frente sempre mais, o Hoax tem uma certa junção de gêneros levando eles bem a sério o mais puro Thrash Metal, más com certas raízes vivas lá no Black Metal também, e então acabam surgindo e dando seu inicio de atividades em muito pouco tempo atrás sendo formada por: José Neto-baixo/Wanderson-bateria/Deivid-guitarra e Anderson nos vocais, em 2015 a banda passa a ser formada diretamente em Teresina-Piaui sua proposta é trazer um som agressivo e bem pesado e é o que eles fazem de verdade e com muito gosto como dito anteriormente findam mesclado de certa forma o Thrash com o Black com toda certeza não tem como o som não ficar uma verdadeira agressão né?, e então eles passam a apresentar se ao vivo, mostrando que vieram com toda força e vontade de então de proclamar todo o caos e a destruição sonora, e fizeram assim já em seu inicio e posso afirmar que é realmente devastador e muito agressivo a sua sonoridade trazendo eles um grande ódio ao executar seus sons que mostram eles que então vieram mostrar que iriam dar e mostrar a sua força e mostrar que fariam algo em prol a cena Underground, apos a sua existência em 2015 e ter tido algumas apresentações ao vivo é gravado seu primeiro registro.
Todo seu caos e sua destruição e um extremo ódio, finda muito bem em um artefato extremo que mostraria toda a força que o Hoax tem, e mostrando ali um comecinho do caos que eles viriam a proclamar, destruição e ódio era o que formava essa sua primeira demo, que é claro todos sabem que foi lançada no ''Infame Maldito Distro''
essa demo foi lançada exatamente nesse ano de 2016, um titulo dado para toda essa agressividade sonora foi ''Nuclear Abomination'' que foi uma demo muito muito bem completa, seja em quantidades de músicas e seja na sua forma de ser entoada e a forma física do material também que é algo que também marcou muito, começando por sua insana sonoridade posso dizer que é algo que me chama muito atenção por sua forma de ser tocado, um som extremo e pesado que mostra um verdadeiro Thrash/Black, a sua velocidade bem agressiva é algo que meio que acende uma chama bem extrema e bem forte, contando com uma bateria rápida e insana fora com um baixo bem pesado sem contar com uma guitarra devastadora e também muito rápida e agressiva e uma voz que veio devastando tudo formando toda a desgraça odiosa que teria que ser feita considero esse um bom som e recomendado a todos essa nova geração de Headbangers é algo que me impressiona e certas bandas me orgulham por sua capacidade de fazer som e manter sua veia extremamente ligada aos anos oitenta dentre os noventa pois hoje ainda tu encontra sons que soam tudo por igual, e um exemplo de geração boa e que tem sua veia la nos anos oitenta a noventa e mantem uma raiz viva com um Thrash mesclado com um bom Black e que realmente me orgulha é o grande Hoax, nessa demo em termos de quantidade de faixas o que me chama atenção é que foi uma quantidade semelhante a um full álbum, contendo ela o total de oito faixas de muita desgraça incluindo letras em português e também uma intro de inicio feita apenas com os instrumentos deles foi um fator grande para a demo tornar se vamos dizer...PERFEITA!!! valendo lembrar que conteve meio que um bônus de duas faixas ao vivo isso também chamou muito a minha atenção que ai então foram organizados suas insanas faixas na seguinte ordem: 1-intro-instrumental/2-Minefield/3-Ghost Town/4-Final Sentence/5-Holocausto Cristão-Ideologias Alienadas/ 6-Nuclear Abomination/7-Saeason of War-Live/8-Metal Massacre-Live
o espaço que abrirei agora é para agradecer ao grande Deivid pelo seu grande apoio e confiança no Black Force Metal Zine, uma honra ter sua banda fazendo essa grande parte do web zine, mando um grande Hail ao Hoax e desejo que essa infernal batalha continue e que o Hoax siga seus anos em frente sempre mostrando que são capazes de fazer algo em prol a cena, Hail ao Hoax.
Um grande título do mais obscuro Black Metal nacional e na cena Underground para meu grande orgulho é apresentado hoje na Black Force Metal Zine, posso considerar essa uma das maiores e melhores hordas, e posso dizer que é uma das mais blasfemas e desgraçadas, o seu nome não negaria nem um pouco as atrocidades bestiais e profanações em nome da mais sagrada blasfêmia do inferno, chamada essa grande horda de In Nomine Belialis, que dar inicio as suas bestialidades grotescas e hostis em meados do ano de 2000, e estando em caminho nessa longa estrada Underground até os dias de hoje, tendo eles seus mais crús e bestiais hinos e ritos no maus cruel português, pregando toda a desgraça impura e toda a maldade humana, uma apologia extrema ao próprio Belial, e a todas as trevas infernais mais obscuras, um som destruidor e de essências e raízes próprias, uma extremidade que horda alguma do gênero pode copiar, seja a sua rapidez seja o seu grande ódio e temas trazidos, levando eles bem a sério os temas que envolvem satanismo, guerra, e um ódio extremo e um certo tema depressivo, eles realmente celebram o verdadeiro mal, são o que considero de insanos profanos em nome da destruição de Satanás, os verdadeiros cavaleiros do inferno, sua sonoridade é tão extrema e tão chamativa que eu posso classificar como extremamente um som perfeito, toda sua desgraça e ódio é levado tão a sério que finda três anos depois em um odioso lançamento que seria o primeiro registro da horda gravado.
São selecionados quatro malditos rituais malignos e noturnos da horda e são o que denominam e formam a primeira demo da horda que seu próprio título não negaria nada o que iria trazer essa insanidade profana, então recebeu o seu título de ''Sons do Inferno'' que era um título que definiu exatamente tudo o que esse maldito artefato iria trazer nos, uma voz devastadora e cruel que me chamou uma altíssima atenção, combinando o bastante com a velocidade da bateria e um baixo bem pesado que fez uma combinação extrema contanto também com uma guitarra extremamente rápida e desgraçada, um som que posso considerar agressividade cruel contra a adeptos do cristianismo e white metal, posso dizer que esse som assusta a esse tipo de gente desde sua capa, más para quem é apreciador da desgraça e de tudo o que é trazido do inferno, quando esses rituais iniciam se acho bem difícil sair da viagem astral maluca que a pessoa cai quando essa peste infernal estar no play, é o que merece realmente ter seu título de sons do inferno, recebendo os seus hinos e rituais na seguinte organização: 1-Gloria Belial/2-Perversos Pensamentos que Habitam Meu Ser/3-Jornada ao Abismo/
4-Blasfemos Seres Noturnos, que então creio que seja uma peça rara em meio a cena Underground, eu na verdade ouço mais nem falar nesse artefato e então eu tenho um grande honra de desenterrar do mais profundo abismo e trazer nas linhas do Black Force Metal Zine, contou nesse material a sua seguinte formação:Mort-guitarra/Nefastus Porphir-vocal-bateria/Ameth-guitarra, e a maldita jornada para o abismo na longa e batalhada cena underground não fica por aqui logo então o In Nomine Belialis prepara se para um próximo artefato, seria então um grande e blasfemo full álbum.
E então o caminho da horda até o inferno continuou, seguindo eles em um caminho negro cheio de batalhas e então é lançado um grande disco que a capa que esta sendo mostrada foi um relançamento dele de 2013, um disco que foi bem mais que blasfemo e profano, considero esse um dos maiores e melhores sons nacionais em relação a Metal e a profanação, o pecado é algo que encontra se solto e crú, a maldade humana é algo que torna se muito melhor da maneira cruel que essa maldita horda mostra, seus expurgos profanos de demônios e bestas é algo que fico até sem palavras, recebendo ele o seu mais justo título de ''Nefasto Caminho da Profanação'' que em suas infernais letras e ideologias, mostrava o que realmente a horda estava fazendo e para que eles vieram nessa estrada, acabaram seguindo em seu nefasto caminho, um disco que eu posso falar que é perfeito não somente em sua maldita arte gráfica e digital e suas artes, como também os seus sons que me deixaram extremamente maluco e me sentindo mais próximo do inferno, más dando me também uma prova na qual o Black Metal Underground não estar morto e muito menos perto de seu fim, a data original de lançamento desse artefato maligno foi em meados do ano de 2006, quando mostrou um In Nomine Belialis com raízes e essências de seus primórdios e mostrando que eles estavam seguindo no nefasto caminho em busca da mais insana blasfema e maldita profanação, afinal é de pecado que eles se alimentam e é de sangue cristão que eles matam sua cede, esse trabalho contou com 10 hinos de mais pura maldade e desgraça e muita profanação blasfema, ordenados eles em sua seguinte forma:1-Intro/2-Nefasto Caminho da Profanação/3-Profanação e Vitória/4-Meu Espírito Prolifera o Mal/5-Essência Suprema de uma Alma Impura/6-Triunfo Pagão/7-Glórias a Belial
8-Perversos Pensamentos que Habitam em meu Ser/9-Jornada ao Abismo/10-Blasfemos Seres Noturnos, nesse relançamento de 2013 contou com presença de certos músicos que até fizeram parte da horda, más então valendo lembrar que hoje a horda conta com K.W.V.A-guitarra e vocal, e com o Nefastus Phorphir na bateria e segunda voz, más na verdade no ano de 2006 quando lançado o In Nomine, contou com a formação de: Nefastus Porphir-vocal-Bateria/Black Priest-baixo/Ameth-guitarra, um verdadeiro artefato de guerra contra a todo o cristianismo e aliados da religião, e então após o lançamento oficial desse disco em 2006 três anos depois é lançado mais uma demo.
Contendo dois hinos malignos extremamente feitos para Satanás de sua capa até seu título e faixas, foi esse um grande lançamento que contando com dois hinos deles mesmos e um cover extremamente desgraçado em homenagem ao grande Sarcófago, uma demo que mesmo com apenas três rituais eu o considero como um grande disco negro de extremidades brutais e hostis, uma capa grotesca e que foi muito bem feita e combinou o bastante com a desgraça profana e bestial que era trazido aqui, posso chamar esse material de uma peça rara, afinal hoje vejo nem a própria horda comentar sobre esse artefato, um disco extremamente cruel com blasfêmias grotescas e hostis era como se tivesse sido feito pelo próprio Satanás, e seu título não nega nada, recebe então esse artefato o seu título de ''Por Satanás'' que recebeu ali então seus três hinos ordenados numa seguinte forma: 1-Por Satanás-versão exclusiva/2-Sob a Chama de Lúcifer-O Escárnio a Cristo/3-Nightmare-Sarcófago-cover, material que serviu de um sério preparamento para o que estaria por vir, sem contar com a gravidade maior de som que encontrava se nesses malignos ritos posso dizer que aqui mostrava um som mais evoluído e mais agressivo, contando aqui com Mort, Nefastus Phorphir e Black Priest artefato profano que levanta todas as forças do inferno com a sua maldade e agressividade em produzir lo, foi um grande fator para o In Nomine ir pra frente e chegar a um lendário lançamento que marcará a sua história toda, seja em lançamentos seja nos seus anos de estrada.
Quando menos é esperado a horda In Nomine Belialis divide suas blasfêmias ao lado do ''Patria'' que é então formado o profano split ''Ravenous Darkness'' que posso considerar como dito anteriormente um dos melhores dessa grande horda, e posso considerar um dos melhores e maiores splits em terras nacionais e em toda a maldita cena do Black Metal, seja Underground seja em todo o Brasil, esse foi um lançamento que me chamou muito a atenção de uma forma que eu fico até sem saber como realmente explicar, más então posso dizer que a destruição estaria formada ali mesmo, um caos infernal e devastador cheio de blasfêmias e muita profanação, seja da parte do In Nomine ou do Patria, más em relação ao In Nomine posso afirmar que com as suas letras cheias de maldade e de muito satanismo torna se uma coisa bem grotesca e hostil assim como os outros discos, más aqui mostra um In Nomine Belialis bem mais maduro e mostrando que a sua força de antes não estaria acabada e muito menos perto de acabar, mostrando sua essência de uma forma bem mais destruidora e violenta um caos bem semelhante a destruição de uma legião de muitos demônios quando avistam uma igreja e vão lá pra destruir, mostram aqui uma força bem mais agressiva e muito mais trabalhada que antes más lembrando mais uma vez que as essências e raízes permaneciam intactas, pois para que iriam mexer no que ta queto? totalizou nesse disco 10 hinos malditos da mais pura profanação em nome de tudo que é mais blasfemo na terra, seguindo eles um verdadeiro nefasto caminho em busca de vitória e profanação, digo e repito, esse é um dos maiores e melhores splits nacionais, seja na cena Underground seja em todo território nacional, e então contou esse disco com a formação do In Nomine Belialis a seguinte: K.W.V.A-guitarra-baixo-vocal/Demogorgon-guitarra- vocal/Nefastus Porphir-vocal-bateria, abro o espaço agora a agradecer ao grande irmão K.W.V.A por me conceder esse artefato e o Nefasto Caminho da Profanação com suas bestiais dedicatórias de pura profanação, e agradeço infernalmente por essa honra de ter essa grande horda nas linhas do Black Force Metal Zine, desejo anos nessa bestial e longa batalha e mando um blasfemo Hail a essa horda maldita e que a guerra profana continue e finalizo com um GLORIA A BELIAL!!!!!!

quinta-feira, 24 de março de 2016

Se é então de Satanismo e Ocultismo que se vive o Black Metal, tenho a total razão que o fim do Black Achemoth não estar nem perto de se aproximar, nos primórdios do Black Force Metal Zine foi falado a respeito dessa maldita e grande horda, más então tenho um dever de postar aqui de uma forma melhor, hoje pegarei sua negra história desde seu inicio de estrada até os dias atuais, tenho uma grande honra de trazer nas linhas negras da Black Force Metal Zine essa maldita horda infernal, que dá seu inicio em meados de 2003, e estar então seguindo na estrada até hoje, posso classificar o Black Achemoth uma das maiores hordas do gênero não só em nossa cena más em todo território nacional, procuram eles o que é de mais real e obscuro na cena, vieram a proclamar o mais infernal caos e a assustadora devastação do inferno através de seus malignos hinos malditos, a obscura força do Black Achemoth posso dizer que é muito extrema e brutal, fazem hinos agressivos e brutais até de mais, voz que devasta tudo e combinando perfeitamente com os instrumentos é o que eu posso dizer que é uma verdadeira desgraça negra e infernal, esse é aquele tipo de horda que combina com muita cachaça e muita blasfêmia, a profanação come solta quando algo desses monstros do inferno estar a rolar, o ser que passa a ouvir eu posso dizer que cai em uma verdadeira possessão de ódio, profanação e blasfêmias e sem contar com o mais puro e insano ódio contra toda a escória os falsos da cena, a bestialidade sonora do Black Achemoth é completamente deles sem puxar influências em outras hordas do gênero, as suas raízes são extraídas deles mesmo, a sua originalidade é algo que eu posso dizer que não pode encontrar se em horda alguma afinal quando uma horda negra vem com suas raízes próprias e originalidades próprias ninguém pode tirar, toda suas desgraças e atrocidades bestiais findam em um primeiro artefato.
No ano seguinte da existência do negro Black Achemoth, é lançado o seu primeiro registro bestial e cheio de desgraça e ódio, seria ali mesmo o grande primeiro passo da horda na cena em relação a lançamentos e mostrar para o que realmente veio, contando nesse artefato com a presença de Lord Necro Warrior na bateria, Vekum na Guitarra e também no baixo, e contando também com o Venom Agorath assumindo a outra guitarra e a insana voz que aqui iria trazer, e então com essa formação gravaram a primeira demo tape da horda que recebeu seu título de Obscure Desires, que trouxe uma capa que mostraria uma desgraça que posso semelhar a uma magia negra, e então não negaria as blasfêmias que iria trazer esse negro artefato, não apenas título de lançamento e capa mostraria o que iria trazer, a parte musical que foi uma brutalidade que chamou atenção de vários bangers naquela época e foi então como a banda ganhou um grande reconhecimento em relação ao seu som, afinal a desgraça que essa demo trazia foi meio que um choque naquele local e em quem conseguiu o artefato na mão, esse aqui sendo um grande passo da horda para seus caminhos negros e batalhas que iriam surgir pela frente, vieram com tanta força de destruição que derrubaram eles todos que vieram em seu caminho para tentar os rebaixar, claro que não conseguiram, o Black Achemoth levantando se com uma força extrema e agressiva botaram para arregaçar com tudo mesmo sem dó e muito menos piedade dos seguidores da escória e sem pena e dó da própria escória, blasfêmias e desgraças que a horda trazia era o que eu posso chamar de assutsador aos olhos dos infiltrados da cena e de quem queria trazer o cristianismo em meio no que não devia, o Black Achemoth trouxe toda essa desgraça com essa demo nos seus primeiros hinos que receberiam os seus títulos na seguinte ordem: 1-Intro/2-Predicator Blasphemare/3-Obscure Desires/ 4-Phosphorous Ascensio, e então a negra batalha continua e seus objetivos vão se alcançando sempre mais que é então que o Black Achemoth no ano seguinte desse bestial artefato surge seu próximo.
Das trevas mais obscuras e infernais, surge na estrada do Black Achemoth seu segundo grande lançamento que foi feito em CD, dessa vez sendo o primeiro lançamento da banda no formato e foi o primeiro split a ser feito, dessa vez o Black Achemoth divide as blasfêmias e atrocidades bestiais com a horda Fecifectum, e então é lançado o maldito e bestial split que recebe o seu título de ''Reaping the Hope of Dirty Humanity'' que mostraria de seu inicio ao fim o quão mal e cruel é a mente humana, a maldade e a crueldade que trazia esse som é o que eu posso chamar de uma verdadeira maldade infame contra cristo e contra todos os mal infiltrados da cena e aqueles que querem pagar de os verdadeiros Black Metal, esse é aquele tipo de disco que esse tipo de gente deve nem chegar perto, esse registro posso considerar um dos mais satânicos e extremos em termos de maldades infernais contendo a união de duas hordas, nesse disco o Black Achemoth contava com uma outra formação, e nessa formação encontra se grandes aliados, que então contou com os guerreiros: Lord Necro Warrior-bateria, Vekum-guitarra, Moloch-guitarra, Mortuary Satatrozny Atrocious-baixo/vocal, valendo lembrar que nesse tempo a horda contou com novas composições, e foram contadas aqui mais músicas do que na primeira demo, então juntando os malditos negros hinos blasfemos das duas hordas resultou em um total de 12 maldiçoes, as crueldades blasfemas contavam com os títulos: 1- Fecifectum-Intro/2-Fecifectum-Filhos do Pesadelo/3-Fecifectum-O Grito da Peste/4-Fecifectum-Ceifando a Esperanþa da Torpe Human/5-Fecifectum-Relegações/6-Fecifectum-Pessßmismo Macabro /7-Fecifectum-The Anguish/8-Black Achemoth-Black Wisdom/9-Black Achemoth-Santan/10-Black Achemoth-Phosphorous Ascensos/11-Black Achemoth-Crowe of Destruction/12-Black Achemoth-Preadicator Blasphemate, ai então com esse grande lançamento o negro Black Achemoth prepara se para seu próximo lançamento que foi o que classifico como um dos melhores e mais bestiais da horda.
Três anos depois de lançar o split, a horda parte para um grande full álbum, seria o primeiro álbum completo da horda, mostrando a grande força do Black Achemoth, um disco odioso e brutal, agressivo cru e sem frescura, blasfemo e profano, é o que eu posso chamar de satanismo puro em um único artefato, começando com uma metranca fudida e brutal com solos marcantes e pesados, um som brutal que combina instrumento com instrumento e sem contar com uma extrema voz que é o que chamo de gritos do inferno ao lado de Satanás, atrocidades bestiais e profanas é o que eu classifico essa desgraça toda, na verdade sei nem como classificar, más garanto que esse não é apenas um som blasfemo e pesado, isso posso dizer que é um expurgo de demônios e bestas e muito ódio, uma infernidade que é um verdadeiro poder infernal, um verdadeiro veneno, com toda essa bestialidade resolvem colocar o seu mais maldito título de ''Revealing the Somber Powers of Hell '' que contou com oito bestiais hinos de caos, desgraça, ódio e muita blasfêmia e satanismo puro, eu nunca pensei que a maldade humana chegasse a um ponto assim de fazer uma maldade tão infame e tão cruel hahaha, más acontece que é esse tipo de desgraça que agrada ver em meio ao Black Metal e então os hinos que iria compor esse disco recebiam os títulos na seguinte ordem: 1-The Call of the Infernal Flames/2-Revealing the Somber Powers of Hell/3-In the Glory and Chaos/ 4-Regina Lilith/5-The Coronation of Damnation/6-The Occult Sphere/ 7Satan: Come Forth...Your Unholy Black Tower.I Am/8-Crower of Destruction, produzidos essas maldições bestiais pelos guerreiros: Necro Warrior-bateria/vocal-backing/ Vekum-Guitarra/Moloch-Baixo/Diablorum Rex Infernalium/vocal, formação que contou com grandes aliados, na verdade Black Achemoth em tantos lançamentos contou com irmãos, más então a bestialidade cruel e grotesca da horda não dar seu fim nesse full, a negra batalha continua, e mais um negro artefato cheio de blasfêmias vem com tudo, cerca de quatro anos depois.
Um segundo bestial e desgraçado álbum é lançado em meados de 2012, com as suas raízes infernais ainda vivas e ativas, as suas armas e armaduras estavam extremamente prontas para tudo o que viesse tentar derrubar los, esse aqui foi uma verdadeira arma e uma verdadeira prova na qual o Black Achemoth não estaria morto e muito menos perto de seu fim, e então esse bestial álbum recebe seu título de ''Under the Veil of Darkness'' que também totalizou oito hinos negros de desgraça ódio e muito horror blasfemo, acontece que foi exatamente nesse álbum que meus grandes aliados estariam juntos, seriam Lord Necro Warrior-bateria/Moloch-vocal-guitarra/Vekum-guitarra/Dubh-baixo-vocal, como comentado antes sobre o grande Dubh, e hoje falo dos meus quatro grandes aliados de uma só vez haha, esses quatro bestiais guerreiros ergueram a bandeira negra por meio desse maldito artefato e seguiram em guerra, um disco que foi muito brutal e de certa forma apresentando um Black Achemoth mais maduro e mais forte e agressivo que nunca, hinos que marcam muito não apenas pela maldita e insana voz e sim também os seus instrumentos que combinam bestialmente com tudo, sendo o que torna um verdadeiro som de Metal negro, cheio de blasfêmias e tudo o que há de ruim, atrocidades bestiais contadas na seguinte ordem: 1-Intro/2-Darkness/3-Black Devotion/4-In His Field of Shadows/5-Hatred.../6-Born to Refuse the Light/
7-Satanic Desires/8-Human Initiative-(...Litigation Against the Heavenly Beings...), que logo após esse maldito som o Black Achemoth trabalha para seu próximo artefato negro que foi o mais recente, e que encontra se hoje sendo um dos melhores de toda a trajetória da horda, lançamento que foi marcante realmente não só pra min e pro Black Achemoth más pra muitos Bangers também.
E então é feita uma compilação em meados de 2014 contendo uma junção de 15 malditos hinos do Black Achemoth sendo que foram selecionados os mais bestiais e mais cruéis contra o que é de cristão na cena, acabou recebendo seu título de ''X - Ater Doctrina et Consecratio'' que foi meio que uma amostra da evolução da horda pegando hinos de grandes lançamentos, e foi então eles organizados na seguinte forma: 1-Intro/2-Bring the Darkness to Your Kingdom /3-The Splendor of the Black Art/
4-Altar of the Serpent/5-A ígnea Morada do Belicoso Marte/6-The Call of the Infernal Name/7-Revealing the Somber Powers of Hell/
8-Regina Lilith/9-Black Wisdom/10-Satan Come Forth...Your Unholy Black Tower.I Am/11Crowe of Destruction/12-Intro/13-Predicator Blasphemare/14-Obscure Desires/15-Phosphorous Ascensio, logicamente eu fico sem palavras a falar a respeito dessa grande compilação esse é um grande artefato que tenho dessa grande horda, recebi com assinaturas dos irmãos, Vekum, Moloch, Dubh e Necro Warrior,fico sem palavras a definir a maldade e a bestialidade que sinto ao ouvir lo e sem saber o quão grande é a crueldade negra, acabo então abrindo o espaço para agradecer aos irmãos dessa grande horda pelo espaço e material concedido, fico eternamente honrado e grato com essa horda nas linhas obscuras do web zine, desejo lhes anos e anos de blasfêmia e bestial guerra na estrada, Hail Black Achemoth.

segunda-feira, 21 de março de 2016

Então hoje tenho certeza que um negro e infernal orgulho e honra da Black Force Metal Zine é apresentar essa grande horda da cena do Metal negro que seria o grande EVRAH, que estar a alguns anos na cena negra de nosso maldito e brutal Underground, essa é aquele tipo de horda que você ao escrever sente uma honra tão imensa que acaba ficando até sem ter o que falar, e então o grande EVRAH é uma banda que eu posso considerar das maiores e melhores nesse maldito território nacional, que acaba surgindo em meio a tantas mentiras pregadas pelas escórias que chamo de religiões, sendo eles perseguidos por esses alucinados acabam dando vida a uma grande revolta, ódio e muito terror que iria fazer a total cara da horda, em meio a tantos obstáculos não deixaram de lutar, seguindo seu negro caminho derrubando tudo e a todos que vinham para querer derrubar los, sempre estando eles bem erguidos e prontos para suas próximas batalhas que surgiriam, e posso dizer que essa grande horda é um orgulho pra min e a todos Hellbangers do nordeste, alem dessa horda ser um Metal negro pesado e horroroso que é ótimo pra assustar certas pessoas, são aqui de minha terra, mais uma horda negra no Underground Nordestino, e tenho mais uma grande prova que a cena Underground não estar em seu fim, e muito menos perto dele quando menos se espera surge das negras profundezas uma grande horda no cenário do nordeste, fico seriamente impressionado com as batalhas que esses guerreiros vem trazendo sempre dia pois dia de luta e sangue, as glórias negras do EVRAH acaba formando uma mistura desgraçada de ódio e terror e é que então levam esses temas muito a sério, e então acontece que nas trevas de agosto de 2015 surge um grande e negro artefato cheio de desgraça.
Vindo das mais obscuras trevas surgidas de toda a profundeza abismal com uma devastação incrível mostrando que não somente as trevas iriam predominar, e sim que também o mais puro ódio e todo o terror iriam chegar pra ficar e destruir tudo e então depois de suadas batalhas e diversos obstáculos nasce da fumaça abismal e odiosa cheia de pecados a mais insana demo que recebe o mais nobre título de ''Ódio e Terror'' que é tudo o que iria compor a demo que posso chamar de um verdadeiro disco negro, venceu o EVRAH toda a sua guerra e destruiu aniquiladamente todos os obstáculos trazendo para a terra o que eu posso dizer que o ser humano tira do inferno para apresentar seriamente a maldade e a crueldade que o ser humano é capas de fazer, esse é aquele tipo de som que eu fico naquela extremidade de tá o que realmente definir, pois sinceramente não sei o que chama mais atenção se é a desgraçada voz ou se foi os demais instrumentos como a grande velocidade da bateria, uma guitarra devastadora e um baixo que trazia um peso muito cruel pra formar toda a desgraça do EVRAH e o que eles queriam trazer para representar esse grande lançamento o mais puro ódio e o terror predominariam feiamente naquele disco e foi o que de fato aconteceu e isso eu não nego, uma capa com uma arte que foi muito bem criada com toda certeza e garanto que título e tudo o que trazia no disco era representação de sangue glória da horda, um peso que não encontra se em qualquer som, devastação agressiva natural do EVRAH, e essa foi uma grande representação de força e poder negro que eles queriam trazer nessa maldita terra, contando esse artefato com os guerreiros: Demoniac-Baixo, Odium-Bateria, Kronos-Guitarra, Lord Abaddom-Vocal, e então o espaço agora só tenho a agradecer ao grande irmão Odium, pelo forte apoiio e sua confiança na Black Force Metal Zine e pela grande irmandade, que a negra união seja eterna, e que o ódio e o terror predominem sempre, desejo bestiais anos de estrada e deixo meu negro Hail.

domingo, 20 de março de 2016

O próprio nome da banda não pode negar o quão grande seria o ódio que iriam trazer em suas músicas, lançamentos e os seus contextos ideológicos más teriam desde seu inicio uma grande proposta de fazer um Death Metal insanamente pesado e grotesco, e sem parar com sua fúria fria e agressiva, nasce das mais profundas e obscuras trevas do ódio em meados do ano de 2000, a banda Epoch of Hate, que hoje a Black Force Metal Zine tem sua grande honra e orgulho em apresentar aos reais Deathbangers que carregam o mais puro Death Metal extremo e o ódio correndo em todas as veias, mantendo vivas as suas raízes abordando seriamente os temas de Anti Cristianismo, Sadismo, Ocultismo e um dos mais importantes que seria Guerra, más claro que em meio a todos esses brutais e agressivos temas, não poderia faltar o mais puro ódio que era carregado com muita seriedade e competência no assunto desde os primórdios da banda, uma verdadeira explosão de ódio, um verdadeiro e assustador expurgo de muita maldade e crueldade, afinal a raça humana foi criada pra isso, desgraça e destruição e que tudo seja feito no mais puro ódio, más sempre em guerra na busca do que é real na cena, o ódio que era explicito e grotesco findava em uma agressividade tão extrema que combinava perfeitamente com o tipo de Death Metal que o Epoch of Hate queria trazer, e é tanto que com sua formação inicial findam tendo um brutal, desgraçado e cheio de ódio lançamento inicial, lançam ali dois anos depois a sua primeira demo que mostraria apenas o começo do Epoch of Hate.
Recebe então um título que encaixa se grotescamente com o nome da banda e ideologias que iriam trazer, seria esse grande registro uma prova viva na qual o ódio predominava junto com o mais insano e desgraçado Death Metal do Epoch of Hate, vamos supor aqui um breve exemplo, um bêbado chega em casa cansado das pingas do bar e acaba agindo bastante agressivo com muito ódio contra todos que vem falar merda contra ele, ou então um Deathbanger que chega insanamente machucado de um fudido show e a porra da sociedade vem falar merda, creio eu com toda certeza que o ódio seria imenso nas duas situações, e então foi o que resumiu um pouco da demo que ganha seu título de ''Age of  Hate'' que foi aquele tipo de som que libera o monstro bestial que existe dentro de você, a agressividade sonora chega a arrepiar de inicio ao fim apresentando uma arte de capa extremamente suja e de uma qualidade que combina extremamente com tudo o que era de desgraça carregada nesse artefato, faixas que foram entoadas odiosamente em nome de toda a agressividade e perversidade animalesca humana, contando aqui a demo com a formação de Renato Mendes-Baixo, Hilberto Dutra-Guitarra, Fabio Bradock-Vocal foram ali os três guerreiros que começam a desgraça odiosa do Epoch of Hate produzindo esse grande artefato que garanto que foi algo que explodiu o grande cenário Underground atraindo vários Deathbangers e um deles foi eu.
O ódio e toda a desgraça depois de alguns anos finda dando seu retorno em 2015, voltando com tudo e a todo vapor com alterações na formação, voltando com um ódio que afirmo e confirmo que chegou bem mais insano e cada vez mais profano e blasfemo, um som que veio no mais crú português de inicio ao fim, seja em faixas seja no próprio título de demo que seria ''Sociedade das Mentes Insanas'' que encaixou se direitinho com os temas da demo e com a maneira que esse som era tocado, grotescamente brutal e sujo que eu fico em dúvidas no que foi que me chamou mais atenção e qual foi a faixa que me deixou mais maluco e insanamente cheio de ódio ao ouvir, a agressividade mostraria uma evolução suja e extrema do Epoch, mostrava um ódio com uma forte maturidade e serialidade ainda maior, um som que foi bem trabalhado de capa e tudo que era transmitido aqui, garanto que não somente eu más muitos Deathbangers desejaram muito essa demo, e tenho a grande honra de mostrar não apenas a banda más também esse grande trabalho que foi insanamente entoado e trabalhado cheio de ódio e impureza, a fúria que reinava nesse artefato contou com o Fábio Bradock Maníaco-Vocal, Stewart Insano-Guitarra, Magno Zyklon B-Baixo, e com o grande irmão Dêivid Perverso com sua extrema rápida e crua bateria, que deu a essa demo um peso que traria toda a essência e raiz que precisava, então não posso negar lhes que o caos a devastação de ódio e toda a desgraça estaria pronta e garantida com esses grandes guerreiros do Underground que formariam uma verdadeira sociedade de mentes insanas, abro o espaço a agradecer ao grande Perverso por sua força e desejo anos de batalha e guerra no que é real na cena, vida longa a Epoch of Hate um insano Hail.